Medo de Mostrar Sintomas Visíveis de Ansiedade: O que fazer?

Você já esteve em uma situação social e começou a se sentir inseguro sobre a maneira como você estava se deparando?

Talvez você tenha se preocupado em dizer algo estúpido, parecer tímido ou chato, ou você simplesmente se preocupou em ser rejeitado.

Enquanto preocupações como esta são bastante comuns e até mesmo adaptativas em muitas situações, em algumas pessoas elas são excessivas.

Nós falamos de transtorno de ansiedade social (TAS) quando a qualidade de vida do indivíduo é drasticamente impactada por estas preocupações excessivas.

Os Sintomas Físicos de Ansiedade Social

Para muitas pessoas com TAS, o medo de fazer ou dizer algo estúpido não é a única razão pela qual elas temem ser rejeitadas.

Frequentemente, os sintomas físicos de ansiedade social resultantes de suas preocupações excessivas adicionam uma camada extra ao problema.

Não apenas estes sintomas físicos são desconfortáveis quando ocorrem em um ambiente social, mas as pessoas com TAS freqüentemente temem que sejam julgadas negativamente por causa deles.

Assim, uma manifestação secundária de ansiedade social pode se tornar a principal área problemática da pessoa.

Vamos considerar, por exemplo, uma pessoa que tenha medo de corar.

Um exemplo: Eritrofobia & o medo de ruborizar

O rubor é uma reação física normal e comum relacionada a sentimentos de vergonha. Quando sentimos que violamos as normas sociais, muitos de nós reagem corando no rosto.

Digamos que você pergunta a uma mulher em qual mês ela está grávida, e ela responde que na verdade ela não está grávida. Ai!

Yip, um blush no seu rosto, um rápido “desculpe-me” e uma mudança de assunto pode ser a coisa certa a fazer nesta situação.

Sua reação física sinaliza para sua contraparte que você está ciente de que você foi rude e que você não quis dizer isso. É uma resposta adaptável porque é projetada para assegurar seu relacionamento com os outros.

No entanto, no caso do medo de corar, também chamado de eritrofobia, a reação física se tornou contraproducente.

A pessoa se envergonha não de uma violação objetiva das normas sociais, mas do rubor em si.

Logicamente, isto leva a um medo de corar. Nossa pessoa começa a prestar uma atenção excessiva às suas reações físicas.

Meu rosto está quente?“, “Eu estou corando agora mesmo?“. – Perguntas como estas continuam aparecendo em sua cabeça.

Se eles responderem sim a estas perguntas, um ciclo de feedback negativo é colocado em movimento. Um sentimento de vergonha surge, o que só fornece mais razões para vergonha, e o círculo vicioso é fechado.

Sintomas Físicos de Ansiedade Social: Uma Prova de Insegurança?

No entanto, isto não se aplica apenas ao rubor. Qualquer sintoma físico, como suor, tremor, palpitações, etc., pode ser um motivo de preocupação para uma pessoa com ansiedade social.

O que todos eles têm em comum é que a pessoa acredita que outros podem rejeitá-los ou desprezá-los por causa dessas manifestações.

Quando perguntados sobre o que estes sintomas físicos significam para eles, os que sofrem geralmente dizem que eles são evidência de sua insegurança, constrangimento ou inferioridade. Os padrões perfeccionistas têm um papel importante aqui. Ainda mais importante, no entanto, é a tentativa de combater estas reações.

O que acontece quando você está com medo de ficar ansioso em situações sociais? É isso mesmo, você presta atenção ao seu estado interior. Você tenta reconhecer cada sinal de ansiedade.

O que você resiste, persiste

Assim que você faz isso, você muda para o modo de emergência. “Estou assustado em uma situação social, isto é perigoso“.

Quando esta é a mentalidade, as tentativas de neutralizar o medo geralmente seguem. Paradoxalmente, essas tentativas geralmente levam a um reforço do medo.

O mesmo é verdade para corar, suar, um coração acelerado ou qualquer outra reação física que as pessoas tentam ativamente evitar e reprimir.

Uma citação de Carl Gustav Jung dizendo "O que você resiste não apenas persiste, mas crescerá em tamanho".

Carl Gustav Jung disse uma vez, famosa: “O que você resiste, não só persiste, mas vai crescer em tamanho“.

A compreensão deste pensamento contraintuitivo representa um dos mais importantes insights e passos em psicoterapia para muitas pessoas com ansiedade social.

A compreensão de que tentativas desesperadas de combater as reações físicas de ansiedade não apenas não ajudam, mas também comprometem o desempenho social, a experiência e a aparência de uma pessoa é crucial.

Isto é especialmente verdadeiro para pessoas que se concentram nas manifestações secundárias, físicas, de sua ansiedade social.

Então, como você pode lidar com os sintomas físicos de ansiedade?

A resposta pode não satisfazê-lo no início, mas pense sobre isso: Talvez você não tenha que lidar com eles de forma alguma. Se você não pode controlá-los, você pode muito bem aceitá-los.

A aceitação dos sintomas de ansiedade física é a maneira mais razoável de lidar com eles.

É claro, isso é mais fácil dizer do que fazer. Mas com prática e perseverança, isso é inteiramente possível.

E se você realmente as aceitar, você pode experimentar o efeito colateral de não ter essas reações físicas de forma alguma.

Portanto, tente permitir que seus sintomas físicos ocorram e esteja presente.

Se você não lutar contra eles, você não vai reforçá-los ainda mais e você não estará ocupado lutando uma guerra que você não pode vencer.

Ao invés disso, você pode se concentrar na situação social atual e participar ativamente dela.

Conclusões

  • Se você tem medo de mostrar sintomas físicos de ansiedade social, resista ao impulso de combatê-los e controlá-los.
  • Quando sua atenção estiver focada em suas sensações internas e físicas em situações sociais, direcione sua atenção para o que está acontecendo ao seu redor, a conversa, a tarefa em mãos, e assim por diante.
  • Declarações internas e mantras que o encorajam a aceitar as reações físicas de ansiedade (“Eu aceito que meu coração está acelerado e resisto ao impulso de lutar contra isso“) podem ser úteis.
  • Não persiga o objetivo de não mostrar sintomas físicos em situações sociais – esta intenção colocará em risco a sua experiência social. Ao invés disso, permita conscientemente que estas manifestações ocorram.

Se você quer trabalhar ativamente na sua intenção de aceitar seus sintomas físicos de ansiedade social, você pode tentar nossa meditação de aceitação guiada, projetada especificamente para este propósito.

Clique aqui para ir ao nosso artigo sobre meditação para ansiedade social, e procure o subtítulo “Meditação de Aceitação Guiada” para experimentá-la.


Pegue | Compartilhe | Siga


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.